Centenárias e bem sucedidas!

O legado das empresas familiares que chegaram aos cem anos é motivo de orgulho e nos traz grandes ensinamentos. O desafio de empreender no Brasil é grande e, maior ainda, o desafio de prosperar e fazer uma empresa de controle familiar ultrapassar gerações e ultrapassar os cem anos de existência, sólida e próspera.

Alguns dos ingredientes para esse sucesso podem ser claramente identificados quando avaliamos os casos do Grupo Gerdau com 112 anos, Granado Farmácias e Mackenzie Educação, ambas  com 145 anos ou ainda Jornal do Comércio do Rio de Janeiro com 188 anos.

Estas empresas conseguiram desenvolver uma visão de longo prazo a partir dos seus fundadores e transmiti-la para as gerações de herdeiros, juntamente com a história da família e sua importância no desenvolvimento das regiões e localidades onde atuam, tornando-se protagonistas na construção destas comunidades.

Outro aspecto importante identificado foi o foco mantido na sua atividade e a busca pelo crescimento e pelo aprimoramento dos seus produtos e serviços.

Os princípios de boa Governança Corporativa também podem ser identificados nestes casos de sucesso. Dentre estes princípios estão o cuidado com a escolha dos sucessores aos cargos de direção da empresa (planejamento sucessório) e a clara separação entre os interesses do negócio e os interesses da família, por meio do estabelecimento de fóruns apropriados para a tomada de decisões (conselhos de família e conselhos de administração), sem os quais,  muitas vezes podem surgir fatores de discórdia entre núcleos familiares, causando rupturas e disputas que levam ao insucesso empresarial.

Mas sem dúvida, o fator que mais contribuiu para que estas empresas chegassem ao centenário foi o espírito de prioridade que as famílias deram ao negócio, em detrimento dos seus interesses ou de suas necessidades materiais.

Algumas destas empresas foram ao mercado de capitais e souberam se capitalizar e fortalecer a sua gestão de forma profissional, o que lhes garantiu crescimento, resultados e sustentabilidade ao longo do tempo. Essa sustentabilidade foi fator decisivo para que mantivessem o controle do negócio no âmbito da família, enquanto outras foram obrigadas a vender parte de sua participação para não sucumbirem.

Empresas de caráter e de controle familiar, centenárias e bem sucedidas devem servir de inspiração para outras tantas que nasceram do sonho de seus fundadores e são motivo de orgulho para suas famílias e seus colaboradores.

O Brasil precisa destes exemplos para estimular e consolidar o espírito empreendedor.

Kleber B. Ziede, Economista, Sócio da KMZ Associados

Sobre kleberziede

Economista, Pós graduado em Planejamento e Gestão , Pós graduado em e Administração Financeira, Especialista em Governança Corporativa, Sócio Sênior da KMZ Associados
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s