A importância da Controladoria para o Conselho de Administração

As principais atribuições do Conselho de Administração nas empresas, como principal órgão integrante de um Sistema de Governança Corporativa, são as de definir as estratégias de longo prazo do negócio, fiscalizar os atos da diretoria executiva e monitorar os seus resultados, visando preservar o patrimônio da sociedade e as corretas relações com todas as partes relacionadas.

Quando o conselho aprova o planejamento de longo prazo e as diretrizes estratégicas para o negócio, estabelece também metas a serem atingidas, visando o crescimento quantitativo e ou qualitativo das operações.

Cabe à diretoria executiva implementar os planos, baseados nas estratégias definidas, reunindo a sua equipe de trabalho e investindo os recursos disponíveis para tal.

Atos e decisões executivas sempre geram riscos e resultados, que precisam ser medidos e monitorados, para que metas sejam alcançadas e a geração de valor no negócio seja plenamente atingida, de acordo com as expectativas dos acionistas.

É neste ponto do processo de gestão executiva e da alta administração que entra o papel  da área e de processos de Controladoria bem estruturados e ajustados com as necessidades de monitoramento dos acionistas, quer seja de forma direta, quer seja por meio do Conselho de Administração.

Para que o Conselho possa exercer de maneira eficiente e eficaz as atribuições de fiscalizar os atos da gestão e monitorar os resultados qualitativos e quantitativos das operações é necessário um sistema de informações e indicadores bem estruturado, vinculados aos principais processos operacionais e de gerenciamento de riscos, bem como vinculados aos objetivos estratégicos de geração de valor e resultados.

Além de monitorarmos os tradicionais indicadores de resultados econômicos e financeiros, se faz necessário o monitoramento dos indicadores de formação de talentos, geração de valor da marca, incremento tecnológico e inserção de mercado, além dos indicadores de riscos, ambientais, sociais, trabalhistas, tributários, de segurança da informação, de sucessão e de patrimônio.

Os modelos de processos e de estrutura das áreas de Controladoria devem estar claramente ajustados ao modelo operacional e de gestão do negócio, para que contribua de forma efetiva com a eficiência, a produtividade e a boa gestão estratégica, subsidiando todos os níveis da organização.

É importante que os conselheiros e os integrantes da diretoria executiva estejam plenamente integrados a cerca do acompanhamento sistemático destes indicadores e que seus reflexos e movimentações sejam interpretados de forma única, para que haja consenso nas interpretações, decisões e correções de estratégias e decisões.

A qualidade das decisões depende fundamentalmente da qualidade das informações.

Kleber B. Ziede, Economista e Sócio da KMZ Associados

Sobre kleberziede

Economista, Pós graduado em Planejamento e Gestão , Pós graduado em e Administração Financeira, Especialista em Governança Corporativa, Sócio Sênior da KMZ Associados
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s